domingo, 25 de abril de 2010

LIBERDADE

Jaime Latino Ferreira, Branco da Paz, 2010
-
A Liberdade
é uma flor
cravo
rosa
flor de couve
seja qual for
ouve
já cresce
abre-se radiosa
frágil
e à Paz
alvo aroma
anuncia
cheio de cor
-
nos trinta e seis anos sobre o 25 de Abril de 1974
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

12 comentários:

manuela baptista disse...

ai que saudades que eu tenho

dos foguetes lançados na madrugada, em terra de Republicanos, a Parede!

comedores de couve portuguesa
que aqui no Estoril as festas são todas tão finas e ninguém lança foguetes, talvez quando a selecção mete uns golitos ou o Sporting...

e foi bonita a festa há muitos anos e não ir às aulas neste dia :))

e não conter no peito a alegria de ver o bafio deitado às urtigas.

E finalmente entender porque é que o meu tio Rogério, que eu não conheci, tinha sido espezinhado pelos cavalos da GNR num Ribatejo sangrento, que isto de o Alentejo ser o menino bonito é pura especulação...

Seja pois a Liberdade, continuada e eternamente construída!

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Minha Querida,

Se tens saudades ... potencia-as como o fazes em mais do que uma promessa que o 25 de Abril potenciou!

Estou farto de discursos passadistas, não me refiro a ti, nem à Parede, nem ao teu tio Rogério, nem aos clubismos estorilenses ...

Mantenhamos viva a alegria que deita, sempre vai deitando o bafio às urtigas!

Essa história de o Alentejo ser o menino bonito, de facto, é como insistir-se ser o cravo a flor de Abril, historicamente sê-lo-á (!), num monolitismo pouco democrático instilado de vermelho como se a Liberdade não fosse a Estação de um ramalhete de todas as cores ...

Sem Liberdade não há verdadeira Paz e o branco que a sugere, com fundo verde Esperança talvez as alimente mesmo ...

A flor da couve, porque da flor da couve, na fotografia se ilustra, insinua, mais a mais, o alimento sem o qual não há nem Paz nem tão pouco Liberdade!

Um beijo repenicado dos foguetes que na Parede sempre lembram a Festa


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

J. Ferreira disse...

Desculpoa lá ó Jaime mas hoje abro outra excepção.

Faz hoje 40 anos que o paquete Uíge atracou à doca da Rocha do Conde d'Óbidos (Alcântara-Lisboa) desembarcando uma fornada de jovens que haviam cumprido, compulsivamente, durante de mais de dois anos parte do seu serviço militar, em Angola, alegadamente em defesa da Nação...

Entre eles, estava este rapaz, agora de ancianidade notória, que se confessa, após tantos anos, cada vez com mais dúvidas...

Com cravos ou rosas, seja lá qual for a flor, a Liberdade devia ser um Jardim!

Todavia, não há Jardim que perdure ou apareça florido, se não lhe prestemos manutenção adequada.

Caro Jaime, a pergunta que deixo é:

onde está esse jardim, bem tratado?

1 Abraço comemorativo, com as flores murchas, em jardim à beira mar plantado...notoriamente a necessitar de adubo!


Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Caríssimo,

Onde está esse jardim ...!?

Olha meu Caro, eu faço por tratar do meu, persistentemente e com esmero!

Satisfaz-te esta resposta!?

Um grande abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

manuela baptista disse...

Flores murchas é como quem diz...

flores, às vezes, chatas para caramba isso sim!

que eu destas festas, quero lá saber das celebrações e quanto mais discursos pior...

a primeira palavra de ordem de que me recordo é:

"nem mais um só soldado pr'às colónias!"

e a minha irmã chumbou a organização política, porque afirmou e teimou que Portugal tinha colónias ...

Manuela

OrCa disse...

Estamos aí, Jaime! Velame contra a procela, ou simples remo a fender correntes aziagas, mas estamos aí!

Um grande abraço!

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


A tua irmã devia ser fresca ...!

Eu nas aulas de organização política e administrativa da nação lembro-me que me perdia em infindáveis discussões com o prof mas chumbar nunca chumbei ...!

Admite lá que, desse ponto de vista, daquele que se considerava ser a organização política a administrativa que estudávamos de uma sebenta bem sebosa, colónias é que não eram ...!

Olha se eu chamasse colónia ao Algarve!?

A verdade é que o regime nunca se soube situar:

Nem admitir que era colonial nem dar à sola a tempo e horas, permitindo outra transição e evitando assim, provavelmente, muitas mortes e tremendas guerras civis!

A tua irmã chumbou, é certo, mas o regime caiu de podre!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

JORGE CASTRO


Ah Orca dos mares ...!

Terias dúvidas!?

Um grande abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

Dulce AC disse...

Liberdade em mim, em ti, nele...para Todos..?!!

Sempre LIBERDADE...!

Um grande abracinho por ter gostado tanto tanto de lembrar a Liberdade...também a de expressão..!
Obrigado Jaime..!

dulce ac

Linda Simões disse...

"Liberdade!, Liberdade!
Abre as asas sobre nós
E que a voz da igualdade
Seja sempre a nossa voz..."



Eita!



Que a liberdade seja real, com flores diversas a florir os jardins.



Um abraço,



Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Ui ...!

O que não vale a liberdade de expressão!!!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Abril de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Querida,

Eita digo eu!

Beijos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Abril de 2010